quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Avaliação de KoRn III: Remember Who You Are



INTÉRPRETE: KoRn
ÁLBUM: KoRn III: Remember Who You Are
GÉNERO: Nu-Metal/Alternative Metal
ANO: 2010
LISTA DE TEMAS:
- Uber-time
- Oildale (Leave Me Alone)
- Pop a Pill
- Fear is a Place to Live
- Move on
- Lead The Parade
- Let The Guilt Go
- The Past
- Never Around
- Are You Ready to Live
- Holding All These Lies


Considerados os grandes salvadores do Nu-Metal (ao lado de bandas como Linkin Park), os norte-americanos KoRn são uma das bandas que mais sucesso gozou neste género musical, com êxitos críticos e comerciais como "Got The Life" ou "Freak on a Leash", reconhecidos pelas letras explícitas e guitarradas profundas, KoRn deixaram a sua marca no mundo da música como uma das bandas responsáveis por empurrarem o Nu-Metal para o mainstream com a sua fusão de vários elementos que vão desde o Grunge ao Hip-Hop. Depois do experimentalista "See You On The Other Side" e do desapontante álbum sem título de 2007, a banda regressa às origens com "KoRn III". Será que foi um sucesso? Verifiquem vocês mesmo na análise seguinte.
No seu núcleo, "KoRn III" é um albúm típico da banda com as vocais distorcidas e mórbidas de Jonathan Davis, guitarradas potentes e as habituais letras de auto-revolta. O albúm começa com uma intro denominada de Uber-time que depois evoluí para a frenética Oildale (Leave Me Alone), uma das melhores faixas do disco, ao bom estilo KoRn. No entanto, é nos temas que se seguem que detectamos o principal problema desta nova entrada: A incapacidade de fazer evoluir o som da banda a outro nível e o uso frequente de secções incoerentes onde guitarras e baterias se fundem de uma maneira desordenada, caótica e descuidada, mostrando a mais que subtil inclinação para outros estilos musicais mais pesados como Trash Metal. O resultado é um trabalho por vezes pautado pela repetição que falha em reproduzir completamente a glória de albúns anteriores como o brilhante "Follow The Leader" ou "Untouchables". É verdade que a banda já não é propriamente recente e isso verifica-se exactamente aqui com sinais visíveis de desgaste. As letras continuam fortes e sólidas como verificamos em temas como "Pop a Pill", onde o vício da droga é personificado como uma relação amorosa e "The Past", mas atenuaram significativamente em termos explícitos o que poupa ao ouvinte alguns pensamentos perturbadores.
No fim do dia "KoRn III" assume-se como o regresso às origens da banda, mas agora sem o furor de antigamente, sem a capacidade de dar aos fãs um único clássico e com uma composição algo repetitiva, às vezes incoerente e menos ritmada que trabalhos anteriores, é aqui que evidenciamos os primeiros sinais de desgaste da banda. De maneira nenhuma, um mau albúm mas longe de merecer um lugar de menção entre os melhores, KoRn III é um bom aperitivo para quem ainda está à espera de algo mais explosivo da banda de Nu-Metal.

Nota: 7.5

Sem comentários: