quarta-feira, 5 de maio de 2010

Crítica do filme "Iron Man 2"






Género - Acção/Aventura
Realização - Jon Favreau

1 de Maio, este é o dia em que tradicionalmente começa o que na indústria do cinema é denominado de "A Época de Verão", onde estreiam os filmes mais explosivos e cheios de acção do ano, num período que ocorre geralmente entre este dia até Setembro. Há dois anos atrás, assistimos à estreia de um dos heróis mais adorados da franquia Marvel, o excêntrico Tony Stark, mais conhecido como o Homem de Ferro. Com um elenco de luxo liderado por Robert Downey Jr. (que ressuscitou completamente após alguns anos de crise), excelente enredo, uma banda sonora de luxo (não me farto de dizer que os australianos AC/DC foram feitos para este filme) e sequências de acção barulhentas e de encher o olho, Iron Man consagrou-se como uma das melhores adaptações de banda desenhada de todos os tempos. A sua sequela, estreou no passado dia 29 de Maio (um bocado mais cedo do que devia), arrancando, tal como o seu antecessor, a Época de Verão. Com um elenco colossal, constituído pelo grande Mickey Rourke, Sam Rockwell, Don Cheadle, a sempre bela Scarlet Johansson e até Samuel L. Jackson como Nick Fury, o líder dos Avengers e claro o regresso daquilo que é O coração do primeiro filme, Robert Downey Jr. Um orçamento de bradar aos céus e grande expectativa, terá Iron Man 2 o mesmo impacto que o seu antecessor dois anos depois? Bem... Sim! E não... Leiam a crítica que se segue e descubram porquê:

Iron Man 2 passa-se pouco depois dos eventos do primeiro, com Tony Stark a revelar a todo o mundo que ele é o Homem de Ferro. O mundo começa então a passar pelo maior período de Paz já visto em muito tempo e o Senado Americano começa a cobiçar o seu fato, exigindo-o até em Supremo Tribunal (numa hilariante cena que demonstra que o carisma de Stark não conhece limites, nem entre as paredes da Senhora Justiça). No entanto, nem tudo é um mar de rosas na vida do nosso "herói", a única coisa que o mantém vivo, o núcleo que construiu após ter sofrido o atentado no primeiro filme, está lentamente a matá-lo devido às cargas de Paládio, que estão lentamente a cair na escassez, Tony terá de encontrar um novo elemento que o substitua antes que seja tarde de mais! A adicionar a isto, Ivan Vanko (Rourke) planeia a sua vingança à família Stark, utilizando a tecnologia que o seu pai e o pai de Stark desenvolveram juntos, aliando-se a Justin Hammer (Sam Rockwell), CEO da Hammer Industries que deseja rivalizar com Tony Stark, para além disso, a femme fatale Natalie Rushman aparece do nada para abalar mais ainda a relação entre Pepper e Stark.
E é aqui que Iron Man 2 apresenta umas lacunas... A falta de coerência de como apresenta um enredo, que apesar de estar bem escrito e apresentar uma história interessante, cheia de potencial, é demasiado extenso para ser apresentado em todo o seu esplendor em apenas 117 minutos, seria muito mais digerível se algum deste material fosse deixado para um eventual Iron Man 3. As representações estão fantásticas! Downey Jr. regressa e continua a fazer magia no papel de Tony Stark, com um carisma irresistível, quer seja a abrir a Stark Expo ou a mostrar-nos como é que vai à casa de banho enquanto está com o fato, Gwyneth Paltrow também regressa como a sempre amável e nervosa Pepper Pots, que agora, para além de ter sido promovida a CEO da Stark Industries parece que vai ter um enfarte com as crescentes atitudes arriscadas do seu companheiro, aqui Paltrow surge com uma actuação até superior ao do primeiro, que já era muito boa. Don Cheadle surge como o substituto de Terrence Howard no papel de Rhodey, o companheiro de Stark, na minha opinião, Cheadle consegue até ser superior ao seu antecessor, transmitindo-nos melhor a ideia de um personagem que não está muito para brincadeiras, ele é também War Machine!



Sam Rockwell mostra-nos porque é um excelente actor no seu papel do irritante Justin Hammer, surgindo muitas vezes como um alívio cómico, Johansson está implacável no papel da fria e privada de emoções, Black Widow. Mas é mesmo Rourke que rouba o espectáculo como Ivan Vanko, uma excelente actuação a todos os níveis e um vilão que tão rápido não será esquecido.
Iron Man 2 pode ter um enredo extenso, mas visto que estamos a falar de um filme que fala sobre "um gajo num fato de metal vermelho ao som dos AC/DC" tem de ter, claro muita acção! E oh se tem! As sequências de acção neste segundo capítulo surgem mais intensas e barulhentas e lembrem-se que agora temos War Machine, para além do Iron Man! Os efeitos visuais estão muito bons, limpos, cheios de classe e muito explosivos, aliados à já muito mencionada banda sonora dos AC/DC, são das melhores sensações que podemos ter numa sala de cinema, principalmente se apanharem o vosso pai a cantar enquanto muita coisa explode ao mesmo tempo, Iron Man 2 é mesmo uma grande maneira de passarem o tempo.
Resumindo tudo num pequeno parágrafo, Iron Man 2, chega por vezes a superar o seu antecessor, quer seja nas sequências de acção, quer seja nas representações, mas um enredo um bocado apressado e a perda de cheiro a novo, fazem-nos preferir o clássico de 2008. De qualquer maneira, este é um filme que vale realmente a pena se visto num grande ecrã e uma grande maneira de iniciar a "Época de Verão" nos cinemas!
"Este filme até poderia ser o
maior fracasso da história do cinema.
Só os AC/DC já fazem dele um mito.
Se juntaram Robert Downey Jr. então têm um filme espectacular!
É recomendado ser visto no cinema devido aos efeitos visuais espectaculares.
No entanto, não supera o primeiro."
 
                                 Nota: 8.6

"Uma sequela que se encontra ao nível
do original. Robert Downey Jr e Mickey Rourke
desempenham papéis fenomenais!"

  Nota: 9.0


NOTA FINAL: 8.8/10

Sem comentários: