quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Análise a "Castle Crashers"




A Newgrounds Studios é uma companhia conhecida certamente por muitos, pelos seus divertidos jogos e animações flash, que os lançaram para a ribalta e os levaram a abrir um pequeno estúdio, The Behemoth, responsável pelo divertido Alien Hominid e o seu subsequente port para o XBLA em forma de HD.
Hoje trago-vos a análise do segundo jogo do estúdio, Castle Crashers, um divertido beat-em-up side-scroller, que é capaz até de conseguir revitalizar o já moribundo género. Castle Crashers está cheio de referências retro, como a comida que nos regenera a saúde e o caos instalado no ecrã inundado de inimigos e até é capaz de trazer uma certa nostalgia aos jogadores mais velhos. Este título de XBLA assume-se como um dos melhores jogos dentro da plataforma, senão o melhor (sim, estou a ter em conta o Shadow Complex!), pela simples razão de ter uma execução simplesmente brilhante, com excelentes valores de produção e uma jogabilidade equilibrada, viciante, intuitiva e profunda (leia-se PERFEITA), do melhor que se já viu dentro do XBLA.
Castle Crasher está, obviamente incutido no tema medieval, onde teremos ao princípio quatro cavaleiros disponíveis, cada um com uma habilidade diferente, para embarcarmos na missão de salvarmos as quatro princesas raptadas por mais de vinte níveis bem divertidos. Vamos explorar florestas, enfrentar maçarocas de milho gigantes, fugir de uma temível criatura numa montada de veados que têm problemas em aguentar as necessidades sólidas e fazer uma viagem auto-referencial numa nave extraterrestre muito familiar, alias um dos grandes pontos fortes deste título é sem dúvida a sua bom-disposição, presenteando-nos sempre com momentos de humor. Devo também deixar esclarecido que a banda sonora e estilo gráfico do jogo é divinal, com temas techno sempre a abrir misturados com melodias medievais épicas e personagens "engraçadas" a serem esquartejadas e muitas, muitas DECAPITATIOOOOONS! (desculpem, tinha mesmo que fazer isto) que conseguem criar o ambiente, por vezes caótico do jogo.
Reparem lá no "bambi" de baixo...


Por falar em caótico, assim que experimentarem a componente coop para 4 jogadores acreditem que não vão querer mais nada! A solo, Crashers já se torna um vício, mas com amigos é imparável enquanto enfrentam vagas e vagas de inimigos que tornam isto uma autêntica festa! E com a sua acessibilidade até a Vóvó se pode juntar à diversão! Castle Crasher adopta o mais leve dos elementos de RPG que é o escalão de níveis, à medida que vão derrotando mais inimigos, vão ganhando mais experiência (XP) para gastarem em Força, Magia, Defesa ou Habilidade, este método, aliado a armas e personagens desbloqueáveis (cada uma com a sua habilidade única), rapidamente se tornou um vício cá em casa, graças à intuitividade e simultânea profundidade. Depois de completarem o Modo Principal têm, ainda o Modo Louco, muito mais difícil, as Arenas, que desbloqueiam personagens novas, um mini-jogo multiplayer "All You Can Eat", as esferas animais por descobrir, ainda mais personagens (são 23 no total, excluíndo DLC e o Alien Hominid que só aparecerá se tiverem o "Alien Hominid HD" na Hard Drive) e claro, o divertido modo coop.
Para concluir, Castle Crashers é uma experiência que vale mais do que pede (1200MP, 14,99€) e que todos os que apreciam o género devem comprar! Sem dúvida um dos jogos arcade mais divertidos disponíveis até agora, Shadow Complex pode ser gigante e explosivo e Braid complexo e emotivo, mas este pequenos cavaleiros chegam bem para esses todos!


POSITIVO

- Banda Sonora
- Grafismo
- Jogabilidade
- Longevidade
- Bem-disposto


NEGATIVO

- Alguns problemas relacionados com o "Emparelhamento nivelado" no Modo Arena.

GRAFISMO: 9.1
SOM: 9.5
JOGABILIDADE: 9.8
LONGEVIDADE: 10




ASPECTOS DO JOGO

TÍTULO: Castle Crashers
PRODUTORA: The Behemoth
EDITORA: Newgrounds
GÉNERO: Beat em up/Side-Scroller
PLATAFORMAS: Xbox 360 (XBLA)
CLASSIFICAÇÃO: M/16
DATA DE LANÇAMENTO: Agosto 2008


Nota: 9.6/10

Sem comentários: