quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Crítica do filme "Kill Bill Vol. 2"





Realização - Quentin Tarantino

Género - Thriller/Acção


Foi lançada pelo nosso amigo RBChaos, muito recentemente a crítica ao primeiro volume de Kill Bill, o épico de vingança do realizador Quentin Tarantino. Decidi ajudá-lo e disponibilizarei a crítica ao segundo volume.
Depois dos excelentes primeiros capítulos do primeiro volume, a expectativa é muito elevada para a conclusão da empolgante história de vingança de Beatrix Kido, "The Bride", uma antiga assassina ao serviço do enigmático Bill (sim, é neste que se vê quem ele é) depois deste e os seus ex-colegas terem chacinado toda a sua família e amigos no suposto dia do seu casamento. Apesar de estar muito bem escrito e muito bem representado, este 2º volume não consegue atingir o nível imposto pelo primeiro e a razão principal, na minha opinião, é pela a maneira que os dois volumes estão organizados, enquanto o 1º volume aposta mais no estilo e na violência característicos dos filmes de Tarantino, o segundo foca-se mais na história e diálogos que o tornaram um realizador de renome, acho que podia ter equilibrado ambos os volumes com os dois elementos que fazem os seus filmes tão bons, assim os volumes parecem algo incompletos (mas não me interpretem mal! Os dois combinados fazem um dos melhores filmes que já vi!).
A primeira evidência da "nova" orientação deste volume começa logo no início do filme onde vamos ver finalmente o que aconteceu antes do massacre, passando para um pequeno excerto onde vamos descobrir como Beatrix se tornou uma assassina letal. Mas vamos voltar onde interessa, a lista da Bride! No último volume foram mortas duas das cinco pessoas quem a Bride se pretende vingar, eles são Budd (interpretado pelo fabuloso Michael Madsen, o "Mr Blonde" de Reservoir Dogs, outro grande filme de Tarantino), Elle Driver (Daryl Hannah), que neste volume apareceu como uma das melhores vilãs no mundo do cinema, e claro, Bill (David Carradine). O elenco é fabuloso, com prestações muito fortes de Uma Thruman e David Carradine, o enredo (apesar de estar um bocado parado) é excelente com diálogos fabulosos, como Tarantino nos tem vindo a habituar. O que me desiludiu foi o fim, achei um bocado fraco para um filme tão grande (cerca de 4 horas).
Vol. 2 veio para arrasar e é a empolgante conclusão de um dos melhores "revenge movies" de sempre, apesar de ter algumas falhas e não ser tão icónico como o primeiro volume, é um must-see para quem viu o primeiro e quem não viu vai ter de fazer uma boa viagem ao clube de vídeo.


Nota: 9.2/10

2 comentários:

RB disse...

Ia escrever a crítica do segundo volume! :P
Vou aumentar um bocadinho a nota, pois acho que merece mais que um 9!
;)

André Franco disse...

Um bocado só! :p
Lol um 9.3 é melhor.