sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Crítica do filme "Fight Club"



IMDb - 8.8/10

Metacritic - 66/100

Realização - David Fincher

Género - Drama (não parece pois não?)

Antes de mais, acho que este foi o primeiro filme que tive de ver duas vezes para perceber o enredo.
Vocês perguntam-se: "É assim tão difícil perceber um filme de porrada?"
Isto não é um filme de porrada! A única coisa relacionada com isso é o título e breves minutos de filme, porque o resto é para esquecer, por isso não esperem non-stop action.

O elenco é excelente, temos Brad Pitt, Edward Norton e Helena Bonham Carter nos papéis principais, a representar de uma forma espectacular.

Existem diversas maneiras de tentar explicar os temas principais deste filme: o vazio da existência humana actual, a falta de direcção na vida, a maneira como a sociedade consumista nos transformou em seres sem verdadeiro propósito, a representação de uma geração perdida, a necessidade de se sentir vivo quando tudo à nossa volta parece oco, a vontade de rebelião e loucura em geral.

Eu adorei este filme e creio que não estou só. O personagem Tyler Durden, para mim, tem de ser das figuras mais bem conseguidas numa película. A nível de discurso, de plano existencial, maneira de encarar as situações, não digo honestidade mas sim franqueza, fazem dele alguém que há-de ficar na vossa memória por muitos anos. Digno de nota: este filme é altamente quotable. Posso não ser grande fã de Edward Norton mas digo-vos já que a sua performance não deixa nada a desejar. Este é um filme que de se certa forma, acaba por assumir marginalmente, uma perspectiva dualista, e isso é bom. É algo que só David Fincher consegue fazer sem parecer forçado. Não me vou alongar pois já teria de entrar no domínio dos spoilers. No entanto vou dizer que o recomendo à força toda, não só pelo enredo e pela representação, como pela fortíssima mensagem e uma banda sonora que me dirigiu imediatamente ao Google.

"We're the middle children of history, man. No purpose or place. We have no Great War. No Great Depression. Our great war is a spiritual war. Our great depression is our lives. We've all been raised on television to believe that one day we'd all be millionaires, and movie gods, and rock stars, but we won't. And we're slowly learning that fact. And we're very, very pissed off."


Nota: 9.5/10

Sem comentários: